Notícia 19/07/2017

PR: Incentivo ao parto humanizado

Enfermeiras de hospital de Porto Alegre cantam e dançam 'Despacito' em vídeo sobre parto humanizado 
Clipe foi gravado nas dependências do Hospital Conceição, com participação de grávidas. Enfermeira explica que a ideia era falar sobre acolhimento da gestante e processo antes e depois do parto. 
Enfermeiras de hospital de Porto Alegre usam 'Despacito' para falar de parto humanizado 
Para falar sobre parto humanizado de uma forma leve e divertida, a equipe do Centro Obstétrico do Hospital Conceição, de Porto Alegre, criou um vídeo com o hit "Despacito". Publicado nas redes sociais na segunda-feira (17), alcançou mais de 1 milhão de visualizações em 24 horas. 
O clipe, gravado nas dependências da instituição, tem a participação de enfermeiras obstetras e de duas gestantes que trabalham no local. A paródia fala sobre o processo de gestação, do pré-natal ao parto. 
"A evolução do parto é despacito (devagarinho) / O nenê vem se encaixando aos pouquitos", diz a letra. 
"A ideia era fazer com que elas se informassem melhor sobre tudo que envolve a gestação. A mulher não precisa ficar deitada o tempo todo. Ela pode dançar!", comenta a enfermeira Rafaela Domingues, de 30 anos, que é mãe de uma menina de 2 anos de idade. 
"A gente quis mostrar que a evolução do parto é devagarinho mesmo, que é um processo devagar e demorado". 
Em outro trecho, a letra fala sobre o acolhimento da gestante. "Tu, tu que está grávida e já parirá / Não fiques nervosa, logo saberá / Que o parto normal é um evento fisiológico", cantam as enfermeiras. 
Se tudo estiver bem com mãe e com a criança, o recomendado é que o parto seja natural. Segundo dados da Secretaria Estadual da Saúde, anualmente, são realizados cerca de 140 mil partos no Rio Grande do Sul. Mais da metade são por cesárea. 
Para o Ministério da Saúde, o preconizado é até 35%, enquanto a Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda que essa parcela fique entre 15% e 25%. 
"Acho que o maior medo delas é a dor mesmo. Por isso elas optam pela cesárea. Mas quanto mais informadas elas estão, vão entendendo que aquilo é necessário, que é da natureza da mulher", observa Rafaela. 
"A ideia é incentivar o parto natural, mas algumas mulheres têm problemas e não conseguem, e acabam sendo encaminhadas para a cesárea, mas não dá pra ficar frustrada por causa disso. Isso acontece mesmo", pondera ela. 
Além da informação, também é importante, conforme a enfermeira, que a mulher se sinta segura. "Tudo fica mais fácil se a mulher se sentir acolhida pela família, pela equipe médica. Isso já facilita muito o processo. E quanto menos intervenção, mais chance tem de dar certo", sustenta. 
A julgar pela repercussão nas redes sociais, a ideia do vídeo deu certo. "Tem sido bem positivo e todo mundo que se envolveu se divertiu também. Eu e a colega de plantão escrevemos a letra em duas horas e mostramos para a equipe. Todos acharam oportuno e criativo", comenta. 
O Ministério da Saúde elogiou a iniciativa. "Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), dar à luz um bebê é um ato natural. Se tudo estiver bem com mãe e com a criança, o parto é um processo fisiológico que requer pouca intervenção médica. É isso mesmo, DESPACITO! É muito importante ampliar o acesso a informações para que as gestantes possam tomar decisões conscientes dos riscos e vantagens de cada modelo de parto", diz o comentário postado no perfil do hospital no Facebook. 

Fonte: (RPC)

Total de visita(s): 185