Notícia 28/03/2019

Saúde suplementar impulsiona geração de empregos no Brasil

Todas as regiões do país apresentaram crescimento no saldo de contratações ao longo de 2018 
A cadeia de saúde suplementar tem impulsionado a economia e a criação de empregos no Brasil e já responde por 8,1% da força de trabalho no país. De acordo com dados do Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS), o número de postos de trabalho formal no setor cresceu 3,4% na comparação entre dezembro de 2018 e o mesmo mês do ano anterior, o que significa um aumento de 114,1 mil vagas. No mesmo período, o total de empregos formais no Brasil teve avanço de apenas 1%. 
Todas as regiões do Brasil apresentaram crescimento no saldo de contratações (diferença entre admitidos e demitidos) ao longo de 2018, com destaque para Sudeste e Centro-Oeste. Enquanto a primeira se destacou pelo saldo absoluto, de mais de 30 mil contratações na comparação com dezembro de 2017, a região Centro-Oeste se sobressai pelo saldo de 2018 ser mais do que o dobro do ano anterior, passando de 7,5 mil, em 2017, para 16,4 mil. 
Luiz Augusto Carneiro, superintendente executivo do IESS, reforçou a importância do setor na retomada de postos de trabalho formais no país. “Nosso Relatório de Emprego na Saúde Suplementar apontou que, em 2018, o setor cresceu mais do que o triplo da economia como um todo”, comenta. “Fica evidente que em todo o país o setor está contratando em ritmo superior à média nacional, o que indica que o mercado está se preparando para voltar a crescer”, pondera Carneiro. 
O maior de Minas 
Em Minas Gerais, o maior plano de saúde do Estado possui também a maior cobertura. A Unimed está presente em 98% do território mineiro e conta com quase 3 milhões de clientes sendo atendidos por 18 mil médicos cooperados espalhados pelo Estado. O Sistema Unimed mineiro fechou 2018 com um saldo de 8,6 mil empregos diretos. 
“O Sistema é responsável pela geração de trabalho e renda, assistência médica, desenvolvimento social voltado para a saúde e a sustentabilidade da cadeia do setor nas regiões. Para se ter uma ideia, as Unimeds mineiras pagaram aproximadamente R$ 1,38 bilhões em impostos em 2017”, explica o diretor de Controle da Unimed Federação Minas, Dílson Lamaita. 
Segundo Lamaita, a rede de atendimento também faz com que a Unimed seja reconhecida pelos mineiros. As Unimeds do Estado contam com quatro pronto-atendimentos, cinco hospitais-dia, 399 hospitais, 432 centros de diagnósticos, 1.132 laboratórios e 2.393 clínicas. Como recursos próprios, o Sistema Unimed possui 15 hospitais, 15 laboratórios, 13 farmácias, 24 unidades de pronto atendimento, 25 clínicas, 43 núcleos de promoção à saúde e 80 ambulâncias. 
“Nossa parceria com a rede credenciada é fundamental para que o setor de saúde se mantenha. Principal indicador de receita dos hospitais, o volume de ocupação está diretamente atrelado à participação dos planos de saúde”, ressalta o diretor. 
Estrutura própria é prioridade 
Sem deixar de investir em estrutura própria, o que também impulsiona o mercado de trabalho, o Sistema Unimed mineiro terá, ainda no primeiro semestre deste ano, mais um hospital. As obras do Hospital Unimed Juiz de Fora terminaram e, agora, inicia a fase de pré-ativação, com testes, equipagem e treinamentos para o cumprimento de todas as regras de segurança clínica. 
A partir de maio, a ativação do Hospital da Unimed Juiz de Fora será gradual e começará pelos procedimentos de menor complexidade, em regime de hospital-dia com assistência intermediária entre o atendimento ambulatorial e internação. Nessa primeira etapa, serão realizados procedimentos clínicos, cirúrgicos, diagnósticos e terapêuticos que requeiram permanência do paciente por um período máximo de 12 horas. 
Construído com recursos da ordem dos R$ 100 milhões em uma área total de 35 mil m², com entorno de 9 mil m² de área verde preservada, o Hospital da Unimed Juiz de Fora foi planejado com parâmetros de sustentabilidade e se diferencia pela valorização dos recursos naturais, confortos térmico e acústico. São 12 pavimentos, além do térreo, sobressolo e heliponto, estruturados para pronto atendimento infantil e adulto, urgências e emergências e para procedimentos de alta complexidade, com centros cirúrgicos, maternidade e unidades de tratamento intensivo (UTIs). 
Dílson Lamaita informa que o projeto do Hospital Unimed Juiz de Fora está alinhado às diretrizes da Unimed Federação Minas, contempla ampliações e um modelo de assistência à saúde com acolhimento e cuidado integral. Em pleno funcionamento, o hospital contará com 800 profissionais em todos os setores e terá capacidade para mais de 14 mil internações/ano. Seus quartos são adaptados para cadeirantes, reversíveis para enfermaria e somam 190 leito 

Fonte: (O Tempo)

Total de visita(s): 202