MS: Robôs vão ajudar 120 pacientes ao mês com lesões no sistema nervoso

28/08/2018 | 09:59

 

Apae regional tem o 1° laboratório de robótica do Centro-Oeste, inaugurado nesta segunda (27). 
"Armeo Spring" e "Lokomat". Os nomes dos robôs parecem estranhos, mas, as benfeitorias a serem feitas por eles são inúmeras. Ambos ficarão em Campo Grande, no Centro Especializado em Reabilitação (CER), da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae). É o primeiro laboratório de robótica do Centro-Oeste, inaugurado nesta segunda-feira (27). 
No caso do Armeo, é um robô exoesqueleto de membro superior, importado da Suíça e adquirido com recurso de projeto apresentado ao Ministério Público do Trabalho (MPT). Em seguida, chega na cidade o Lokomat, robô exoesqueleto de membro inferior adulto e infantil. O uso dos equipamentos está previsto para outubro. Enquanto isto, a equipe multidisciplinar do CER/APAE está recebendo treinamentos. 
Segundo a assessoria de imprensa da Apae, o objetivo do laboratório é proporcionar a comunidade sul-mato-grossense tecnologia de ponta no processo de reabilitação dos pacientes, com lesões medulares, traumatismos cranianos e outros ferimentos no sistema nervoso. Ao todo, 120 pacientes devem ser benefiados mensalmente. 
Atualmente, o público é atendido com técnicas de intervenção neurofuncionais, com resultados satisfatórios na reabilitação, porém, com a aquisição destes equipamentos de alta tecnologia, será possível acelerar ainda mais o processo de reabilitação do paciente. 
Outro foco do laboratório de robótica é o desenvolvimento de pesquisa em neurociência, para o desenvolvimento de protocolos, tecnologias e produtos. O custo total do laboratório será de R$ 1.340.000. Deste montante, R$ 236.000 são provenientes do MPT, R$ 210.000 da Central de Penas Alternativas do Tribunal de Justiça de MS e o restante de emenda parlamentar. 
Nesta segunda (27), também ocorreu o lançamento do Laboratório de Reabilitação do Trato Gastrointestinal e Urinário para pacientes com câncer no intestino e/ou urinário, pacientes com estomas, com incontinência fecal ou urinária e sequelados neurológicos. 
Este local oferece atendimento aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), além de ter o desenvolvimento de pesquisa científica. A compra dos equipamentos, no montante de R$ 932.000 foi viabilizada com emenda parlamentar no valor de R$ 1.000.000.

Fonte: (Graziela Rezende - G1)