Jejum tem sido reduzido no preparo de pacientes para cirurgias

02/08/2018 | 08:49

Considerava-se o período de 12 horas; hoje já chega a 2 horas em alguns casos 


O período de jejum para os pacientes de uma operação eletiva, a cirurgia que pode ser programada sem urgência, está sendo reduzido. 
Antigamente, considerava-se o período de 12 horas para esvaziar o conteúdo gástrico. O clorofórmio, anestésico empregado por longo tempo nas operações e há anos abandonado, podia provocar vômitos e consequente risco de aspiração com possíveis graves consequências. 
Refeição em hospital; um dos pratos tem verduras, arroz e feijão; o outro tem uma salada e o terceiro tem uma fruta 
Os benefícios clínicos e as atuais recomendações para o jejum no pré-operatório são analisados em artigo de revisão da pesquisadora Samara B. Gomes Campos e colaboradores, da faculdade de nutrição da Universidade Federal de Alagoas. O estudo foi publicado na revista Arquivos Brasileiros de Cirurgia Digestiva. 
Segundo os autores, a literatura médica mostra que a abreviação do jejum com bebida enriquecida com carboidratos até 2 horas antes da operação pode trazer benefícios funcionais e redução no tempo de hospitalização, sem risco de broncoaspiração. 
Por outro lado, o jejum prolongado, por fatores clínicos e metabólicos, pode colocar em risco a recuperação pós-operatória dos pacientes.

Fonte: (Julio Abramczyk - Folha de S.Paulo)