Home care é o serviço de saúde que mais cresce no Brasil

02/08/2018 | 08:06

 

O relatório apresenta o aumento de 35% do setor em apenas um ano. 
Recentemente, o boletim econômico da Federação dos Hospitais, Clínicas e Laboratórios do Estado de São Paulo (Fehoesp) destacou o abrupto crescimento no número de estabelecimentos que prestam o serviço de atendimento hospitalar em domicílio – os chamados home care – no Brasil. 
O relatório apresenta o aumento de 35% do setor em apenas um ano, contra uma média de 5% em relação aos outros serviços de saúde. No país, só nos últimos seis anos, praticamente triplicaram os registros de empresas que oferecem o atendimento hospitalar em casa. 
O coordenador médico Heleno Strobel Rosa, que atua na Qualycare – estabelecimento que oferece o serviço de home care há mais de dez anos em Mato Grosso –, explica que o crescimento do segmento não se deve apenas ao envelhecimento populacional, que é um dos principais fatores atribuídos por especialistas ao contexto de expansão do atendimento. 
O serviço de home care também cresceu em virtude do alto custo de se manter um paciente em hospital, mesmo contando com plano de saúde ou estando no SUS 
Segundo o médico, o custo-benefício do serviço em domicílio também é uma das causas do expressivo crescimento do setor. 
“O serviço de home care também cresceu em virtude do alto custo de se manter um paciente em hospital, mesmo contando com plano de saúde ou estando no SUS”, destacou. 
Conforme explica o especialista, para cada leito hospitalar ocupado, deve-se contabilizar uma série de despesas que podem ser suprimidas pelo atendimento em domicílio. 
Isto é, no hospital tem o serviço do médico, o plantão das enfermeiras, o trabalho do psicólogo, da fisioterapeuta, a disposição de uma UTI caso precise, a estrutura para procedimentos cirúrgicos, além das visitas diárias. No home care, entretanto, o atendimento é pensado de acordo com a necessidade de cada paciente. 
“Toda a estrutura hospitalar – que é caríssima – deve estar inserida no custo de um leito. Logo, levar o paciente para o home care é mais barato para o estado ou para os convênios do que deixá-lo, sem perspectiva de melhora, em hospital; sendo igualmente seguro para o paciente”, ressaltou Heleno. 
O médico também reiterou que, cada vez mais, os convênios estão cobrindo o atendimento em domicílio por visar a melhora clínica do paciente em casa e a redução de custos. 
HOME CARE 
Além de mais viável economicamente, o serviço em domicílio ainda tem a vantagem de retirar o paciente de um ambiente hospitalar, que pode parecer insalubre para quem está internado, onde há um maior risco de infecção – e levá-lo para um ambiente familiar, com o carinho e o conforto do lar. 
Dentre os outros benefícios do atendimento em domicilio, é importante ressaltar a continuidade do tratamento hospitalar na residência, a manutenção do paciente no ambiente familiar e com possibilidade de inserção social. 
A alternativa também permite uma maior rotatividade de leitos em hospitais públicos e particulares.

Fonte: (Midia News)