IBCC: Cuidar da voz é manter a saúde em sintonia

18/04/2018 | 09:23

 

Atenção à mudança na qualidade da voz, irritação constante da garganta, dor ao engolir, caroço, inchaço ou ferida no pescoço 


É a voz a ferramenta mais importante para a comunicação e por isso deve ser tratada com total atenção. Destaque para os cuidados de reabilitação e as dificuldades que surgem durante o tratamento de pacientes oncológicos. A reabilitação fonoaudiológica tem como objetivo desenvolver mecanismos para as funções que foram prejudicadas em virtude de uma doença, entre elas a dificuldades de deglutição e fonação.  Em tratamentos oncológicos, por exemplo, durante as sessões de radioterapia e quimioterapia, a voz pode ficar mais rugosa, rouca e fraca, o que causa desconforto na hora de falar. “Observamos as condições da motricidade oral, voz e deglutição, avaliação do padrão articulatório, tipo de voz, se presente, condições respiratórias. O objetivo da avaliação é identificar o que está alterado no sistema fonoaudiológico e o porquê estas alterações estão ocorrendo para definir o diagnóstico e a conduta terapêutica mais adequada”, explica Viviane Fernandes, fonoaudióloga do IBCC – unidade Jaçanã. 
A profissional reforça que é importante ficar atento ao surgimento de algumas alterações, como irritação constante da garganta dor ao engolir, caroço, inchaço ou ferida no pescoço. Mudança na qualidade da voz também deve ser observado. “A voz é fundamental para o dia a dia e para mantê-la saudável e evitar riscos de aparecimento de algumas doenças é importante se atentar a alguns hábitos como não fumar, aumentar a ingestão de vegetais, frutas, legumes e cereais, diminuir o consumo de carnes e alimentos gordurosos, evitar a ingestão de bebidas alcoólicas e praticar atividades físicas regularmente”, alerta. 
Atenção à voz 
Ontem, no Dia Mundial da Voz (16 de abril), a Dra. Beatriz Cavalheiro, médica do IBCC especialista em Cabeça e Pescoço, enfatizou que a qualidade da fonação, da deglutição e coordenação dessas funções são importantes, mas todos devem estar atentos a sintomas associados à voz que podem indicar um processo oncológico não diagnosticado. “Rouquidão por mais de duas semanas, alteração da qualidade da voz (voz anasalada e não necessariamente rouca), engasgos frequentes, escarros com sangue, incômodo ou dor à deglutição, falta de ar, presença de nódulos no pescoço. Nem sempre é a voz a primeira a ser afetada em processos oncológicos do trato aéreo digestivo alto, mas normalmente o será em função da progressão da doença e do tratamento disponível”, explica. Assim, é de extrema importância a prevenção e o diagnóstico precoce, bem como que a população aproveite os pontos de exame da campanha, sem medo do procedimento ou do tratamento. 
Cuidados 
A médica acrescenta que os cânceres que mais frequentemente acometem a voz são aqueles que se desenvolvem no trato aéreo digestivo alto, ou seja, nos órgãos da voz e respiração e digestão, como laringe, faringe e esôfago. “São tumores induzidos pela exposição a fatores de risco bem conhecidos, como o tabagismo e a ingestão de bebidas alcoólicas, entre outros fatores de menor impacto e predisposições pessoais. Lesões benignas, não consideradas cânceres, por sua vez, também podem ocorrer, especialmente nas pregas vocais, proporcionando alterações da voz”, orienta a médica. Importante lembrar também que a glândula tireoide é muito próxima aos nervos que propiciam a mobilidade das pregas vocais, de tal forma que tumores agressivos dessa glândula podem acometer essas estruturas neurais com consequente rouquidão. 
Dicas de saúde 
Beber bastante água (em temperatura ambiente); Coma maçã, é adstringente e limpa o trato vocal; Sono regular, momentos de lazer e atividades físicas adequadas; Procure respirar sempre corretamente; Enquanto estiver falando mantenha a postura de corpo ereta; Evite competir com ruídos externos durante a fala não aumente o volume de sua voz; Tente não gritar ao falar em público; Fale pausadamente; Ao sentir vontade de tossir ou pigarrear, respire profundamente pelo nariz e engula a saliva várias vezes ou beba água; Boceje e espreguice diversas vezes ao dia para diminuir a tensão na região dos ombros e do pescoço; Após o uso intenso da voz, procure permanecer em repouso vocal por algum tempo.

Fonte: (IBCC/AssPreviSite)