DF: Exame confirma malária em idosa

27/03/2018 | 10:21

 

Local de infecção ainda é desconhecido. Quadro atual da paciente não foi informado. 
A Secretaria de Saúde do Distrito Federal confirmou, nesta segunda-feira (26), o diagnóstico de malária em uma idosa de 71 anos, internada no Hospital Regional do Guará no último dia 13. Segundo a pasta, seis diagnósticos da doença já foram registrados na capital federal em 2018. 
Até a tarde desta segunda, a secretaria ainda não sabia precisar onde a paciente, moradora da Estrutural, contraiu a doença. A malária é causada, na maioria dos casos, pelo protozoário Plasmodium vivax – um micro-organismo que não costuma circular pelo DF. 
O G1 e a TV Globo aguardam retorno da Secretaria de Saúde sobre o estado de saúde atual da paciente. Segundo a filha da dela, Luciana Fonseca, a mulher foi transferida para o Hospital Universitário de Brasília (HUB) e continuava internada até esta terça, com quadro estável. 
No dia da internação, o prontuário da idosa registrava sintomas como falta de ar, diarreia, febre e calafrios. Segundo Luciana Fonseca, a mãe não viaja para fora da capital federal desde 2013. 
Números da doença 
Boletins do Ministério da Saúde afirmam que, de cada 100 casos de malária registrados no Brasil, 97 acontecem na região Norte do país. 
Em 2017, a Secretaria de Saúde contabilizou 33 ocorrências de malária no DF. Em 2016, foram 29 casos. A pasta orienta que pessoas com viagens marcadas para regiões de malária endêmica usem repelente e mosquiteiros como forma de prevenção. 
O que é a malária? 
A malária é uma doença infecciosa febril aguda, cujos agentes causadores são protozoários do gênero Plasmodium. É transmitida pela picada do mosquito de gênero Anopheles ou por contato pelo sangue, como o compartilhamento de seringas. 
Os sintomas incluem mal-estar e calafrios, seguido de suor intenso e prostração. No caso do Plasmodium falciparum, pode ocorrer uma grave anemia, potencialmente fatal. 
No Brasil, a Região Amazônica tem maior incidência e concentra aproximadamente 97% dos casos brasileiros. Segundo dados da Secretaria de Saúde, a malária é uma doença tropical, com grande potencial de gravidade clínica. 
Fora da Região Amazônica, a letalidade da malária é maior – em muitos casos, porque a falta de "costume" dos profissionais com a doença atrasa o diagnóstico. 
Uma equipe no Núcleo de Controle de Endemias da Secretaria de Saúde fornece suporte, sempre que há suspeita de ocorrência da doença no DF. De acordo com a pasta, o resultado do exame para diagnóstico da malária sai em menos de 4 horas.

Fonte: (Tainá Seixas e Mateus Rodrigues - G1)