GO: Quase 2 mil casos de conjuntivite em Caldas Novas

02/02/2018 | 09:11

 

Ministério da Saúde recolheu amostras de água de várias piscinas da cidade, que foram levadas para análise; resultado deve ficar pronto dentro de 20 dias. 
Quase 2 mil pessoas foram atendidas com sintomas de conjuntivite no mês de janeiro em Caldas Novas, na região sul de Goiás. De acordo com a coordenação da força-tarefa que apura o surto da doença, amostras de água de várias piscinas da cidade foram recolhidas para análise do Ministério da Saúde, e o resultado deve ficar pronto dentro de 20 dias. 
"Nós estamos tomando todas as medidas para alertar a população para a higiente pessoal, os cuidados preventivos contra a conjuntivite, para garantir que Caldas Novas tenha um carnaval tranquilo para os turistas e os próprios moradores", disse o secretário de comunicação de Caldas Novas, Cláudio Alvarenga. 
Conforme a coordenador da Vigilância Epidemiológica de Caldas Novas, José Custódio Pereira Neto, foram atendidas 1990 pacientes com sintomas da doença. No período mais crítico do surto, a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) chegou a atender 80 pacientes em um único dia. Agora o número caiu para uma média diária de 30, mas ainda existe a preocupação com os turistas que vão passar o carnaval na cidade. 
A assessora parlamentar Cleonice Martins Pereira Souza está passando férias na cidade e afirma que ir até UPA com sintomas de conjuntivite não estava no roteiro turístico da viagem. "Começou no meu filho de 11 anos, agora eu, e hoje amanheceu meu pequenininho de sete anos. Mas já estamos tratando e já está ficando bom", contou. 
A UPA de Caldas Novas orienta as pessoas com sintomas da doença a procurar atendimento médico para ter o devido atendimento. 
Casos da doença 
A Secretaria de Saúde de Caldas Novas explicou que o número de casos aumentou 30% em relação ao ano passado. Só a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) estava registrando, no início do mês de janeiro, cerca de 50 casos da doença por dia. Além dela, os turistas podem procurar outros 17 postos de saúde e o Centro Médico de Especialidades. 
A conjuntivite dura, em média, até 15 dias. A doença é caracterizada por dor, coceira, vermelhidão e secreção nos olhos. Os tipos mais comuns são o viral, o bacteriano e o alérgico. 
Segundo Ana Cristina, o Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen) forneceu material para coleta de secreção ocular. A coordenadora explicou que a Secretaria Municipal de Saúde colheu e enviou, na última semana, cinco amostras. 
“O objetivo é identificar qual o tipo de bactéria. Estamos aguardando o resultado, que deve demorar de cinco a sete dias. Provavelmente, mais exames serão feitos. Por enquanto, ainda não identificamos vírus como causador”, explicou. 
A grande concentração de turistas facilita a transmissão. O coordenador da Vigilância Epidemiológica de Caldas Novas, José Custódio Pereira Neto, disse que os hotéis e espaços turísticos da cidade receberam algumas orientações. “Para que tenham nas suas recepções algum álcool gel ou algum tipo de assepsia mais intensificada para a gente diminuir o impacto dessa doença”, disse. 
Porém, alguns turistas reclamam de não terem sido informados sobre o surto. "Fiquei sabendo a partir de agora, né? Infelizmente, a gente já está acometido dessa enfermidade", disse um turista.

Fonte: (G1)