Atendimento domiciliar em saúde já é realidade no Brasil

04/12/2017 | 08:38

 

Além de planos de saúde particulares, profissionais autônomos e a tecnologia estão facilitando cada vez mais o acesso das pessoas a um atendimento diferenciado, no conforto do lar 
Hoje em dia, para estar presente em um consultório, o paciente precisa pedir licença do trabalho, encarar um trânsito caótico ou um ônibus lotado. Isso acaba gerando uma alta taxa de não comparecimento às consultas. No Brasil, a média é de um terço de desistência no SUS, por exemplo. Mas essa antiga forma de atendimento em saúde está ficando para trás. Não vai acabar, é claro, mas vai se adaptar a uma nova modalidade: O atendimento domiciliar. 
Alguns planos de saúde particulares já oferecem esse tipo de serviço no Brasil. O paciente liga para a central do plano, especifica o profissional que deseja e qual dia e hora quer ser atendido em casa. O plano encontra um profissional disponível nos termos do paciente e marca a consulta. Porém, o custo do plano de saúde particular ainda é um empecilho para a população de menor renda. Por isso, alguns profissionais estão oferecendo esse serviço de forma autônoma. A dificuldade, nesse caso, é conseguir encontrar esses profissionais, sem a ajuda do contato feito pelo plano de saúde, por exemplo. 
É nesse ponto que entra a tecnologia. O aplicativo e-Santé, da Medical Lex, empresa brasileira localizada em Florianópolis, começou com atendimento farmacêutico, em setembro desse ano, e agora em novembro já acrescentou nutricionistas, fisioterapeutas e enfermeiros em sua base de profissionais cadastrados. 
“A versão do e-Santé para pacientes é gratuito e está disponível nas principais lojas de aplicativos. Depois de fazer o cadastro, o usuário define que tipo de serviço precisa e o local onde deseja ser atendido. A partir disso, o aplicativo mostra uma lista de profissionais que estão próximos ao paciente, por meio de geolocalização. Basta escolher um deles, e definir o dia e a hora em que deseja ser atendido”, explica o diretor da Medical Lex, Niraldo Paulino. 
A solicitação da consulta chega ao profissional cadastrado por meio do aplicativo e-Santé Profissional. Caso esteja disponível para atender, ele aceita a solicitação. No 
dia e hora marcados, o profissional se apresenta no endereço definido pelo usuário e presta o serviço escolhido. 
“O grande benefício do atendimento domiciliar para o paciente é a comodidade. Quem trabalha das 8h às 18h, pode agendar o atendimento para depois do trabalho, sem se preocupar em perder um dia de serviço. Além, é claro, de não precisar encarar trânsito, pagar estacionamento, gastar combustível, etc”, argumenta o diretor da empresa. 
Já para o profissional, o beneficio maior é o baixo custo para atendimento. “Para montar um consultório, por exemplo, o custo é altíssimo com aluguel, decoração, secretária, etc. Já pelo aplicativo, o profissional tem “seu consultório” por apenas R$96,00, que é o custo da taxa para ativar a função atendimento no e-Santé Profissional, que é paga uma única vez. Depois disso, é só lucro”, conta Paulino.

Autor: Eduardo Prestes

Fonte: Segs