Ibovespa tem queda de 0,66%

03/11/2017 | 08:47

 

O ceticismo dos investidores em torno das chances de avanço do governo na reforma da Previdência voltou a dar o tom dos negócios no mercado de ações, impondo um novo pregão de queda do Ibovespa nesta terça-feira. O índice, que, na véspera, já havia perdido 1,55% de seu valor, nesta terça-feira recuou 0,66%, aos 74.308 pontos. Segundo profissionais do mercado, a baixa foi limitada por alguns fatores, como o noticiário mais ameno, a alta das bolsas de Nova Iorque e até a ação de gestores empenhados em impedir um desempenho negativo do Ibovespa no acumulado de outubro. Em um mês marcado pela inversão do fluxo de recursos externos, o índice ficou praticamente estável ( 0,02%). As quedas mais significativas foram das ações do setor financeiro, sensíveis ao risco político e símbolos de liquidez. Entre os destaques nesse bloco esteve Itaú Unibanco PN, que caiu 2,46%, apesar de o balanço trimestral da instituição ter sido considerado essencialmente positivo. Bradesco PN caiu 1,34%, com o investidor à espera do resultado trimestral da instituição. As ações ordinárias da Vale terminaram o dia em baixa de 0,77%. Já os papéis da Petrobras seguiram sinais diferentes. Petro ON subiu 0,40%, e Petro PN recuou 0,06%. De acordo com os dados da B3, o saldo de investimentos estrangeiros no segmento Bovespa ficou negativo em R$ 274,9 milhões no dia 27. Com isso, o acumulado de outubro até essa data está negativo em R$ 902,6 milhões. Em 2017, o saldo é positivo em R$ 13,8 bilhões. Em setembro, a bolsa registrou ingresso de R$ 3,8 bilhões. O dólar terminou a sessão desta terça-feira em baixa, devolvendo parte do forte ganho registrado na véspera e após a formação da Ptax do último dia do mês. Segundo profissionais do mercado, o clima de incertezas em relação à agenda de reformas, em especial a da Previdência, impediu um recuo maior da moeda norte-americana nesta terça-feira. Em outubro, no entanto, a moeda fechou com valorização de 3,32%, a maior alta percentual mensal desde a eleição de Donald Trump, em novembro do ano passado, quando subiu 6,18%. O dólar à vista o pregão fechou em baixa de 0,51%, a R$ 3,2716. O volume financeiro foi de US$ 923,711 milhões. Já a taxa Ptax fechou em R$ 3,2769, em alta de 0,68%. A última Ptax de cada mês é utilizada como referência para liquidação de contratos futuros de câmbio.

Fonte: (JC Online)