Entendendo a pressão arterial

A hipertensão é o maior fator de risco para infarto e derrame. Manter a pressão arterial normal é essencial para prevenir o desenvolvimento desses problemas

Pressão arterial é a força causada pela contração do coração e das paredes das artérias para impulsionar o sangue por todo o corpo. O aumento acentuado da pressão, comumente chamado de hipertensão, é o maior fator de risco para o desenvolvimento de infarto e acidente vascular cerebral (AVC), as doenças que mais matam no Brasil e no mundo.

O que querem dizer os números 12 e 8?

Essa é uma forma simples de dizer que a pressão máxima está em 120 e a mínima em 80 milímetros de mercúrio (mmHg). No Brasil, popularmente eliminam-se os zeros e, em vez de dizermos 120 por 80, dizemos apenas 12 por 8. A pressão máxima ocorre quando o coração se contrai (sístole), correspondendo à maior pressão entre um batimento e outro. A pressão mínima ocorre quando o coração está relaxado (diástole), fase necessária para que o órgão se encha de sangue para em seguida contrair-se novamente.

Por que devemos ter a pressão arterial 12 por 8?

Com a pressão 12 por 8, tudo funciona bem. Mas quando a pressão está frequentemente aumentada órgãos importantes como o coração, o cérebro, os rins, os olhos e as próprias artérias sofrem maior desgaste e podem surgir graves doenças. Quando a pressão está em 14 por 9 ou mais, estabelece-se a hipertensão arterial. Um hipertenso que não se trata adequadamente pode ter a expectativa de vida reduzida em até dezesseis anos. Valores entre 12 por 8 e 14 por 9 são chamados de pré-hipertensão e já requerem cuidados como o controle do peso e do stress, redução do sal na alimentação e realização de exercícios físicos. Cerca de 90% dos hipertensos necessitam usar medicamentos continuadamente para o controle da doença. Mas cerca de 80% dos hipertensos não se tratam adequadamente em nosso meio, sendo essa uma das maiores causas das 1 000 mortes cardiovasculares que ocorrem em um só dia no país.