Alimentação ajuda a combater efeitos do tratamento de câncer de próstata

 

 

 

 

A alimentação é importante na prevenção e no tratamento do câncer de próstata. Na prevenção, estudos indicam que o licopeno presente em alimentos como tomate, goiaba vermelha, melancia, entre outros, é benéfico. “O licopeno atua como antioxidante e tem importante papel de proteção”, afirma Verônica Torel de Moura, enfermeira oncológica e integrante do Comitê Científico do Instituto Vencer o Câncer. No tratamento, a alimentação ajuda a amenizar efeitos, como náusea, diarreia, constipação. “A dieta nutricional prescrita para o paciente tem a ver com a fase do tratamento dele”, acrescenta Verônica.

Leia também: Alimentos com licopeno combatem câncer de próstata

No câncer de próstata, a radioterapia é focada na glândula. Por isso, pacientes que fazem esse tratamento podem ter problemas intestinais, como diarreia e constipação. A hidratação é fundamental e os alimentos que serão consumidos pelo paciente devem ser adequados para combater cada problema. “Se o paciente estiver com diarreia, deve evitar, por exemplo, leite de vaca e derivados, alimentos integrais, casca de frutas. Já em casos de constipação, o paciente deve aumentar o consumo de fibras”, explica Verônica Moura.

Na quimioterapia, além de problemas intestinais, outros efeitos podem ocorrer como inapetência, mucosite (inflamação que pode levar a lesões na língua e boca), náusea e vômito. A imunidade do paciente também cai. “A quimioterapia diminui a imunidade do paciente logo depois de 7 a 8 dias da primeira sessão. Por isso, os pacientes devem evitar comer quibe cru, sushi, carne crua, tudo o que pode ter algum tipo de bactéria para evitar complicações, como diarreia”, orienta.

Bolachas, torradas, sorvete e gelo ajudam a controlar o enjoo. “O gengibre também pode contribuir para diminuir o enjoo, por isso falamos para o paciente sempre ter com ele uma bala de gengibre”, acrescenta Verônica Moura. Também é recomendado que as refeições sejam fracionadas e que o paciente coma de 3 em 3 horas.

Quando a doença está avançada, o paciente pode ter anemia. Nesse caso, ele deverá fazer uma dieta com ferro. O mesmo deve ser feito no pós-operatório se o paciente perder muito sangue na cirurgia.

 

Fonte: (Matéria publicada no Estadão Shopping)