Cortar calorias pode diminuir a velocidade do processo de envelhecimento

Especialista comenta estudos recentes que mostram que o jejum ou a restrição calórica podem estar diretamente associados à longevidade. Entenda

Há muitos anos diversos estudos, principalmente em animais, indicam que a restrição calórica está diretamente associada à longevidade. Mas os mecanismos de como isso ocorre ainda permanecem não muito bem elucidados. Um novo estudo publicado pela revista Nature recentemente indica alguns aspectos que explicam por que essa restrição pode ampliar os anos de vida.

Hoje, entre as dietas da moda, está o jejum. Existem vários tipos e protocolos diferentes, todos com o mesmo objetivo, emagrecimento rápido, melhora de aspectos como a síndrome metabólica e aumento da longevidade. Essa moda na verdade teve início por causa justamente dos estudos com a restrição calórica. Como é muito difícil manter todos os dias uma restrição de alimentos tão severa, uma das alternativas passa ser o jejum de maneira periódica. Se realizado da maneira adequada e com acompanhamento de um profissional, o jejum parece realmente trazer benefícios para a saúde, mas não para todos.

O que o estudo realizado por pesquisadores da Temple University encontrou é que a restrição calórica diminui a velocidade de como determinadas proteínas se ligam ao DNA e ativam determinados genes, diminuindo assim as taxas de alterações epigenéticas, o que favorece a longevidade. Os pesquisadores investigaram um processo chamado de metilação, que de maneira simplificada, é o mecanismo que "liga” e “desliga” os genes. Foi identificado que uma taxa maior de perdas e ganhos de metilação do genoma está associado a uma menor longevidade.

Ao longo da vida é comum algumas regiões do genoma aumentarem essas taxas de metilação e outras diminuírem. Até então, sabia-se que esse mecanismo estava associado ao envelhecimento, mas o estudo conseguiu mostrar que pode estar associado à longevidade. E o fator que foi capaz de diminuir essas taxas de alterações epigenéticas foi a restrição calórica. Há muito já se sabia dessa associação entra a restrição e a longevidade, mas o estudo mostrou que o mecanismo para isso são as alterações epigenéticas, ou seja a dinâmica do processo de metilação. O que não se sabe ainda é por que isso ocorre é por que algumas pessoas têm esse processo mais acelerado que outras. Por isso mais estudos são necessários.

Uma indicação então é que o jejum ou a restrição calórica podem trazer alguns benefícios, mas como é algo complexo de se fazer, alguns pesquisadores estão estudando uma dieta que imita a restrição calórica e o jejum, e os benefícios parecem ser mantidos. Nessa dieta são usados alimentos específicos e controlados para que se tenha esses efeitos sem as contra-indicações do jejum. Os estudos mostram que o emagrecimento e a diminuição da síndrome metabólica ocorrem, resta saber se o aumento da longevidade também.

Referências:
Jean-Pierre J. Issa. Caloric restriction delays age-related methylation drift. Nature Communications, 2017; 8 (1).

 

Fonte (As informações e opiniões emitidas neste texto são de inteira responsabilidade do autor, não correspondendo, necessariamente, ao ponto de vista do Globoesporte.com / EuAtleta.com).