De vilã à mocinha, maionese entra na lista de alimentos com

 

Descubra características nutricionais e benefícios da maionese, que não contém gorduras trans. "Ela pode fazer parte de uma dieta equilibrada", diz nutricionista

    O tempo passa, a ciência da nutrição avança e, de tempos em tempos, alguns “paradigmas” alimentares são triturados. O ovo é um destes personagens emblemáticos. Agora, ele ganha a companhia de uma ex-vilã que também mudou de lado nesta história de superação: a maionese.  

O que a transforma em “mocinha” é a classificação de suas gorduras. Acreditava-se que a maionese fosse um alimento muito gorduroso e com “calorias vazias”. Entretanto, sua outra identidade fora descortinada: rica em ácidos graxos insaturados – assim como a Castanha do Pará, nozes, azeite, peixes e abacate -, ela é fonte de “gorduras boas” (monoinsaturadas e poli insaturadas), que exercem diversas funções vitais e devem fazer parte de qualquer dieta equilibrada.

Lara Natacci, nutricionista, doutoranda em Educação e Saúde pela USP e coach de bem estar, ajuda a esclarecer a outra face do "molho". 

- Boa parte das pessoas acredita que o consumo de todos os tipos de gorduras está associado ao aparecimento de doenças cardiovasculares e ao aumento de peso. Então, elas acabam excluindo praticamente todas as fontes de gorduras da alimentação. Apesar desta afirmação parecer estranha, todo indivíduo precisa sim de gorduras. Nenhum tipo de gordura deve ser totalmente abolida da alimentação diária. As refeições equilibradas, com todos os tipos de alimentos, são fundamentais para a manutenção da saúde e bem estar.  A maionese pode fazer parte de uma alimentação balanceada, sendo uma opção que pode ser utilizada em molhos ou outras preparações, considerando sua versatilidade de uso e sua composição nutricional - revela  Lara Natacci. 

O importante é entender qual tipo de gordura é ingerida. 

- A maionese, por ser preparada com óleos vegetais, é uma excelente fonte de ácidos graxos insaturados, incluindo ômega-6 e ômega-3, substâncias essenciais para manter o funcionamento pleno do organismo. Ao ser consumida de forma adequada, pode ajudar a reduzir o risco de doenças cardiovasculares, além de não conter gorduras trans - complementa a nutricionista.

A GORDURA BOA

Segundo Lara Natacci, as gorduras boas são as compostas por ácidos graxos insaturados (poli e monoinsaturadas), que incluem ômegas 3 e 6. 

- Esse tipo de gordura tem função importante na manutenção de níveis adequados de colesterol, pela ação na redução de triglicéridesprevenção de coágulos e combate nas inflamações, auxiliando, assim, a manter a saúde do coração e a garantir uma alimentação equilibrada. Castanha do Pará, nozes, óleos e cremes vegetais, azeite de oliva, peixe, abacate e a maionese são exemplos de alimentos que fornecem gorduras boas.

FONTES DE GORDURAS BOAS

Para deixar mais claro, Lara Natacci revela dicas de alimentos fontes de gorduras boas para incluir no cardápio:

- Prefira alimentos derivados de óleos vegetais como, azeites, cremes vegetais e a maionese, que podem fazer parte de uma alimentação equilibrada já que contêm gorduras poli-insaturadas como Ômegas 6 e 3;
- Inclua legumes e verduras. Para dar mais sabor e incluir gorduras boas na refeição é possível preparar molhos à base de maionese, por exemplo;
- Invista em nozes, castanhas, amêndoas, castanha-do-brasil, castanha de caju, avelã e sementes nos lanches intermediários. Eles são importantes fontes de Ômega-6 e outros nutrientes.
- Consuma frequentemente peixes de águas frias e profundas, como sardinha, atum, salmão, arenque e truta.

*As informações e opiniões emitidas neste texto são de inteira responsabilidade do autor, não correspondendo, necessariamente, ao ponto de vista do Globoesporte.com / EuAtleta.com

Fonte: (Rio de Janeiro)